O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 
notícias
30/07/2008 - 12:36h
Regulamento Taça São Paulo Curió - Temporada 2008

CONSIDERAÇÕES INICIAIS:

 

1 - DA FINALIDADE

1.1 - O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as normas e a rotina dos Torneios de Canto do pássaro Curió (Oryzoborus angolensis).

1.2 - As normas e rotina deste Regulamento serão aplicadas a todos os Torneios organizados e dirigidos pela FEBRAPS. Qualquer divergência entre normas e rotinas deste regulamento com qualquer outro específico, prevalecem as constantes deste Regulamento, pois foram aprovadas pelos Coordenadores em 05-07-2008, em reunião exclusiva para este fim.

 

2 – DESTAQUES:

2.1 – Expositores: Nenhum nome de pássaro poderá ser trocado durante os Torneios.

2.1.1 – Os expositores do Estado de São Paulo, sem cartão magnético da Federação, não terão seus pontos válidos, como também não receberão troféus no local do torneio.

Expositores de Outros Estados, onde não existe Clube filiado à Federação, os pontos serão considerados, desde que comprove filiação em algum Clube.

2.2 - O pássaro que porventura venha a mudar de dono durante o decorrer do campeonato, o proprietário deverá solicitar a troca através da secretaria da FEBRAPS.

2.3 – Gaiolas no recinto do Torneio: Este é um problema crônico nos torneios.

Os participantes e expositores deverão ter a ciência que é proibida a circulação de gaiolas abertas, pássaros pendurados nas imediações das estacas, pássaros fora dos carros antes de ser chamado para estaca ou mesmo depois. Quando identificado, o pássaro perderá automaticamente seus pontos e o expositor estará suspenso dos próximos dois torneios subseqüentes.

2.4 – Entrega dos Troféus: A entrega dos troféus no torneio de canto deverá ser no "pé da estaca" imediatamente após a apuração dos resultados.

2.5 – Conferência de anilhas: Poderão ser conferidas as anilhas de três pássaros, mediante sorteio.

2.5.1 - Quando houver necessidade de conferência de pássaros específicos, somente poderá ser feita com a aprovação do Diretor Técnico e ou do Presidente.

 

3 - DA PREPARAÇÃO:

3.1 - Dos Locais dos Torneios: Os Torneios somente serão realizados em recintos cobertos, protegidos do sol, da chuva e do vento, em ambiente claro, arejado e seguro.

3.2 – Do Ambiente do Torneio: O clube indicará o local onde se realizará o torneio, pagando as taxas devidas.

3.3 - Do Horário:

3.3.1 - A inscrição deverá ser feita, de preferência, na véspera do Torneio, na sede do Clube, das 8:00 às 14:00 hs. No domingo, ela se estenderá até cinco minutos antes do horário previsto para início da prova.

3.3.2 - Os Torneios iniciarão impreterivelmente às 08:00 hs, horário de Brasília-DF. O local de realização das provas deverá estar aberto aos expositores a partir das 06:45 h.

3.4 - Da Inscrição: A inscrição será feita mediante a apresentação da relação atualizada dos pássaros, mais a Licença de Transporte / Torneio emitida pelo SISPASS / IBAMA, ou a nota fiscal, mais o comprovante de filiação a clube de outro Estado ou cartão magnético em sendo o expositor do Estado de São Paulo, quando então, será entregue a cartela devidamente visada pelo Presidente ou Diretor Técnico ou seu representante designado.

3.5 – Nenhum pássaro poderá ser inscrito no mesmo torneio em duas categorias.

3.6 – Pássaro de outrem: - O expositor para inscrever pássaro que não seja de sua propriedade deverá apresentar a licença de transporte do SISPASS / IBAMA, em seu nome, além da relação oficial de passeriforme do proprietário, bem como da carteirinha quitada do clube (Outro Estado) ou cartão magnético da Federação (quando o expositor for do Estado de São Paulo) em nome do proprietário.

3.7 - Das Estacas: As estacas poderão ser de madeira ou metal, de cor neutra e sem decoração, com gancho chato e base firme de forma a não permitir que a gaiola balance.

3.8 - Da Disposição: As estacas (canto) serão dispostas de maneira que uma categoria em hipótese alguma tenha contato visual com outra, independente da categoria.

3.9 – Todas as estacas deverão ser delimitadas por uma faixa (não pode ser zebrada) ou cordão de isolamento, com distância mínima de 02 (dois) metros entre os expositores, visitantes e as gaiolas.

3.10 - Os equipamentos de marcação eletrônica computadorizada ou manual deverão ser testados no dia anterior ao torneio.

3.11 - Das Cartelas (Fichas): As cartelas (Fichas) serão fornecidas pela FEBRAPS e somente poderão ser vendidas após receberem o visto do Diretor habilitado pela entidade promotora do torneio.

3.12 - Do Cabeçalho da Cartela: O cabeçalho deverá ser preenchido pelo responsável do pássaro e deverá constar, de forma legível, o nome completo do proprietário, o clube / sociedade a que estiver filiado, a cidade onde reside, o nome (apelido) do pássaro, o número do anel e demais caracteres nele constantes.

3.13 - Compete ao mesário conferir o preenchimento completo e legível do cabeçalho. As inexatidões dos dados fornecidos poderão levar os respectivos pássaros à desclassificação.

 

4 - COMPETE AO CLUBE PROMOTOR DO EVENTO:

4.1 – Divulgação do evento no SITE e distribuição do calendário.

4.2 – Na organização:

4.2.1 – Providenciar as mesas, cadeiras, protetores de chuva / sol, se for o caso, estacas, pastas, cronômetros e canetas, no local da competição;

4.2.2 – Confirmar com antecedência Juízes, Mesários e Juízes Auxiliares para todas as modalidades;

4.3 – Apoio:

4.3.1 – Lanche para os juízes no horário entre 10:00 e 10:30 hs;

4.3.2 – Fazer cumprir horário de inicio às 8:00 hs;

4.3.3 – Placas internas no recinto indicando a localização das estacas;

4.4 – Técnica:

4.4.1 – Envio dos resultados para a FEBRAPS para que seja incluido no site.

4.4.2 – Publicação no mural do resultado financeiro do evento, bem como o número de pássaros inscritos, divididos por categoria e o valor acumulativo da premiação;

4.5 – Exigência da documentação legal no momento da inscrição.

 

5 – JUÍZES:

5.1. Credenciamento: Somente o Coordenador poderá solicitar emissão de crachá.

5.1.1 – Os Juizes serão indicados pelo Coordenador de Departamento de cada categoria.

5.1.1.1 - No caso do Juiz escalado não comparecer o Coordenador fará a substituição.

5.2 – São incumbências dos Juízes e Mesários:

5.2.1 - O tempo de apresentação para cada participante será de 5 minutos, tendo início a contagem no momento em que o expositor pendurar a gaiola na estaca.

A partir do inicio da contagem do tempo, o pássaro, independente do motivo, somente poderá ser retirado antes do tempo com autorização do juiz sob pena de desclassificação imediata do torneio e será anotado no mapa: Desclassificado.

5.2.1.1 – Nenhum pássaro poderá receber qualquer tipo de estimulo para cantar depois de adentrar o recinto destinado aos juizes e estaca, sendo desclassificado de imediato e será anotado no mapa: Desclassificado.

5.2.1.2. Se o número de inscrições por categoria passar de 40 (quarenta) inscrições, o tempo será reduzido para 4 (quatro) minutos de apresentação.

5.2.2 - O pássaro não poderá ser interrompido enquanto estiver cantando, mesmo vencido seu tempo, como também não poderá ser retirado antes do tempo, mesmo que não cante e será observado no mapa: Não Cantou.

5.2.3 - Apresentação: chamar pelo número e / ou nome do pássaro em voz alta por 01 (um) minuto antes do número ou nome subseqüente.

5.2.4 - O juiz deverá chamar o próximo participante durante dois minutos, de forma intercalada, depois de encerrado o tempo do pássaro anterior. Não se apresentando, ficará fora da competição e será observado no mapa: Não Compareceu.

5.2.5 – Antes do início da prova o Juiz deverá avisar os participantes se houver número de inscrição pulado ou vazio. A ordem de inscrição, uma vez  estabelecida, não poderá ser trocada, mesmo que seja de comum acordo entre os expositores. Será afixada em lugar visível a ordem de apresentação.

5.2.6 – O mapa deverá ser apresentado legível, com assinatura do juiz e mesário, sem nenhum tipo de rasura.

5.2.7 - Antes de dar início à contagem de tempo, verificar se o pássaro está anilhado, com água, alimentação, placa de identificação, ficando a banheira a critério do expositor, porém a Gaiola não poderá estar revestida com saia ou capa protetora. Esta verificação poderá ser feita pelo Mesário ou Juiz.

5.2.8 – Manter os expositores fora da corda de isolamento e coibir as manifestações (discursos) durante a apresentação do pássaro;

5.2.9 – Anunciar o resultado em voz alta ao término de cada modalidade, incluindo aqui a nota obtida pelo pássaro;

5.2.10 – Todo esclarecimento ao expositor deverá ser feito individualmente, devendo recorrer ao mapa para auxilio se for necessário, mesmo no caso de desclassificação.

5.2.10.1 – Toda e qualquer ficha de julgamento pertence aos arquivos do Clube, portanto não poderá ser levada pelos juízes.

5.3 - Pássaros de propriedade do Juiz: O Juiz poderá apresentar seus pássaros nas Categorias onde o mesmo se apresenta como Juiz, desde que o pássaro não participe da avaliação (não receba nota) classificatória. Se o objetivo for contar pontos para o Campeonato, o Juiz não poderá julgar o seu próprio pássaro. Em qualquer dos casos deverá ser feita à inscrição para poder apresentar o pássaro na estaca. Caso não seja respeitada esta imposição do Regulamento, o pássaro será eliminado do Campeonato e seu proprietário será excluído da Equipe de Juízes da temporada.

 

6 – PONTUAÇÃO:

6.1 – A pontuação está unificada para todas as categorias de Canto, conforme segue:

Primeiro lugar – 10 pontos

Segundo lugar – 9 pontos

Terceiro lugar – 8 pontos

Quarto lugar – 7 pontos

Quinto lugar – 6 pontos

Sexto lugar – 5 pontos

Sétimo lugar – 4 pontos

Oitavo lugar – 3 pontos

Nono lugar – 2 pontos

Décimo lugar – 1 ponto

 

7 – CRITÉRIOS PARA DESEMPATE:

7.1 – Empate na competição:

7.1.1 – maior número de primeiros lugares na temporada;

7.1.2 – maior número de segundos lugares na temporada;

7.1.3 - maior número de inscrições, ou seja, aquele que mais participou da competição;

7.1.4 - O último critério é o da idade: o expositor mais velho ganha.

7.2 - Empate no Torneio:

7.2.1 – Maior distância percorrida entre o Clube de origem até Cidade patrocinadora do torneio;

7.2.2 - O expositor mais velho em questão é o vencedor.

 

8 – DA PREMIAÇÃO FINAL E FESTA DE ENCERRAMENTO DA TEMPORADA:

8.1 - Os recursos para premiação terão origem nos valores arrecadados das inscrições, ou seja, de cada inscrição 3,00 (três) reais serão destinados a premiação.

8.2 - O valor da inscrição será de R$ 15,00 (quinze reais), sendo que o Clube fica com R$ 12,00 (doze reais) para custeio do torneio e R$ 3,00 (três reais) serão repassados para premiação (deduzindo aqui as fichas cortesia).

8.3 – As homologações dos Campeões e Vices serão feitas pelos Coordenadores de cada Departamento, juntamente com o Presidente e publicada no site da FEBRAPS logo após o término da competição.

8.4 – Somente serão homologados pássaros que participarem de metade mais um de todas as etapas realizadas dentro da sua categoria.

8.41 - Nenhum pássaro poderá ser campeão em duas categorias ou ainda com e sem repetição. Caso o pássaro some a mesma quantidade de pontos com e sem repetição, será classificado com repetição.

8.42 – Para atender plenamente o item 8.4 os Juizes deverão encaminhar o Mapa completo do início da competição, ou seja, com todos pássaros participantes.

 

9 - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS:

9.1 - Todos os criadores / competidores presentes deverão estar atentos em proteger os seus pássaros para que não sejam assustados, não deixando que se aproximem das gaiolas, crianças, pessoas portando chapéus, bonés ou similares, guarda-chuva, animais e outros;

9.2 - Fica terminantemente proibida a presença de pessoas embriagadas, mesmo sendo criadores / competidores, e se houver insistência, o pássaro do mesmo será desclassificado pelo Juiz e suspenso dos próximos dois torneios subseqüentes.

9.3 - Qualquer reclamação deverá ser feita por escrito, ao Coordenador do Departamento correspondente à categoria que encaminhará à Diretoria Técnica, para a tomada das providências cabíveis;

9.4 - No caso de qualquer desacato à autoridade dos Juízes, o Presidente da FEBRAPS ou o Coordenador do Departamento encaminhará à Diretoria Técnica um relatório, expondo os problemas surgidos, que depois de assegurada à ampla defesa dos envolvidos, emitirá o seu parecer conclusivo;

9.5 - Todo proprietário de pássaro será responsável pela segurança e proteção de seu respectivo pássaro. A FEBRAPS, ou seus Diretores, bem como o clube promotor do torneio, não serão responsabilizados em caso de eventuais ocorrências de acidentes, furtos ou outros imprevistos que possam ocorrer nos ambientes de torneio.

 

10 - DOS CASOS OMISSOS:

10.1 – Em caso de dúvida, sobre a interpretação deste Regulamento, casos omissos e/ou fatos novos no momento do torneio, o impasse será resolvido por uma comissão composta de:

10.1.1 CANTO: pelo Coordenador de Canto e Diretor Técnico.

Este procedimento valerá para todos os tipos de ocorrências nos Torneios da FEBRAPS e deverá a partir de alguma ocorrência que justificar, fazer constar no próximo Regulamento.

10.2 – Os impasses que não puderem ser resolvidos no momento do evento serão resolvidos pela Diretoria Técnica e Presidente com comunicação posterior da decisão aos envolvidos.

 

11 – AGRESSÃO:

Toda e qualquer agressão física ou verbal, independente do motivo e análise, fica de antemão o agressor / expositor suspenso por um ano dos Torneios da FEBRAPS, perdendo todos os pontos na competição atual, sem direito de recorrer da decisão e sem nenhum tipo de ressarcimento. Ficando para análise do Presidente da FEBRAPS a possibilidade de aumento da pena.

 

12 - O sócio e / ou Diretor do Clube que ameaçar os juizes, se comprovado com testemunhas, será suspenso por um ano das competições das FEBRAPS, sem direito a recorrer da decisão e ressarcimento de qualquer ônus.

 

Curió

 

REGULAMENTO GERAL DE CANTO CURIÓ PRAIA GRANDE

 

1 - CATEGORIAS:

1.1 - Categoria A - Praia Grande Clássico com repetição e sem repetição;

1.2 - Categoria B - Praia Grande com repetição e sem repetição;

1.3 - Categoria C - Praia Grande Pardo com repetição e sem repetição;

1.4 - Categoria D – Curió Canto Livre

 

2 - Requisitos Obrigatórios:

 

2.1 - Categoria A – Praia Grande Clássico:

Entrada de Canto, Notas de Ligação, Quim Quim, Samaritá e Batidas de Praia.

2.1.1 - Entrada de Canto: é obrigatório emitir pelo menos uma vez, durante a sua apresentação, caso contrário será considerado fora de prova.

2.1.2 – Notas de Ligação, Quim Quim e Samaritá. Poderão ser emitidas com uma nota, desde que predomine uma quantidade superior a 70% de todos os cantos com duas notas, caso contrário será considerado fora de prova.

2.1.3 – Batidas de praia deverão ser emitidas com duas ou mais notas no módulo de entrada de canto, na passagem, bem como no arremate, que serão consideradas para efeito de colocação de notas e apresentação.

2.1.4 – Canto:

2.1.4.1 - Corresponde ao número de cantos completos ou “repetição” que o curió emite em uma cantada.

2.1.5 Cantada:

2.1.5.1 - Corresponde a todas as vezes que o curió inicia e termina uma cantoria com ou sem repetição durante sua apresentação.

Exemplo:

- Se um curió durante a sua apresentação emitir somente duas cantadas de 05 (cinco) cantos, ou seja, 5 (cinco) repetições, ele emitiu um total de 10 (dez) cantos. Suponhamos que ele falhe uma nota no primeiro canto de cada cantada, significa que ele falhou duas vezes a mesma nota.

Portanto:

- 2 (duas) cantadas de 05 (cinco) cantos = 10 cantos

- 2 (duas) falhas no primeiro canto = 20% de falha

- Este curió deverá permanecer nesta categoria porque emitiu 80% de todas as notas, recebendo uma nota do juiz de zero a dez (com base no sistema de atribuição de notas, itens 6.1 e 6.2).

- Obs.: Durante a sua participação, deverá emitir no mínimo 2 (duas) cantadas completas.

2.1.7 – Defeitos e Deficiências do Praia Grande Clássico:

2.1.7.1 - Samaritá em fit-fit, pouco destacado ou semelhante;

2.1.7.2 - Retorno de canto;

2.1.7.3 - Passagem Lisa ou Remontagem de Canto (quim quim tói).

2.1. 8 – NOTAS DO CANTO PRAIA CLÁSSICO

Módulo de Entrada

Ti Tui - 2 notas de entrada de canto

Té Té - 2 notas de preparação ou ligação

Quim Quim Tói - 2 notas de Quim Quim com Toi

Té Té - 2 notas de preparação ou ligação

Tué Tué - 2 ou mais notas de batida de praia

Módulo de Repetição primeiro canto

Quim Quim - 2 notas de Quim Quim

Té Té - 2 notas de preparação ou ligação

Uil Uil - 2 notas de Samaritá

Té Té - 2 notas de preparação ou ligação

Quim Quim Tói - 2 notas de Quim Quim com Toi

Té Té - 2 notas de preparação ou ligação

Tué Tué - 2 ou mais notas de batida de praia

Módulo de Repetição segundo canto

Quim Quim - 2 notas de Quim Quim

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Uil Uil - 2 notas de Samaritá

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Quim Quim tói - 2 notas de Quim Quim com Toi

té té - 2 notas de preparação ou ligação

Tué Tué - 2 ou mais notas de batida de praia

 

2.2 - Categoria B – Praia Grande:

2.2.1 – Entrada de Canto: O curió poderá emitir o bloco de notas de entrada do canto ou não. Será observado para efeito de avaliação na colocação das notas e apresentação.

2.2.2 – Notas de Ligação, Quim Quim e Samaritá: poderão ser emitidas ou não. Quando emitida com uma ou duas notas será observado para efeito de apresentação.

2.2.3 – Batidas de Praia, deverão ser emitidas com duas ou mais notas no módulo de entrada de canto, na passagem, bem como no arremate e serão consideradas para efeito de colocação das notas e apresentação.

2.2.4 - Durante a sua participação, deverá emitir no mínimo duas cantadas completas.

Obs.: O curió Praia Clássico que se apresentar nesta prova será considerado fora de prova.

 

2.3 - Categoria C - Praia Grande Pardo

2.3.1 – Entrada de Canto: O curió poderá emitir o bloco de notas de entrada do canto ou não. Será observado para efeito de avaliação na colocação das notas e apresentação.

2.3.2 – Notas de ligação, Quim Quim e Samaritá, poderão ser emitidas ou não. Quando emitidas com uma ou duas notas serão observadas para efeito de colocação de notas e apresentação

2.3.3 - Batidas de Praia deverão ser emitidas com duas ou mais notas no módulo de entrada de canto, na passagem, bem como no arremate e serão consideradas para efeito de colocação das notas e apresentação.

2.3.4 - Durante a sua participação, deverá emitir no mínimo 2 (duas) cantadas completas.

2.3.5 – Característica essencial do Curió Pardo:

2.3.5.1 - Deve possuir mais de 50% de cor parda e, em caso de dúvida sobre essa porcentagem, consultar o Diretor ou Coordenador Técnico antes de fazer sua inscrição.

2.3.6 - Caso um competidor apresente um curió que cante a linha Xodó ou Patrício, deverá ser julgado como tal em qualquer das três categorias.

2.4 - Categoria D – Curió Canto Livre

2.41 – Requisitos Classificatórios:

- Canto dentro da espécie, não podendo emitir notas de outros pássaros.

2.42 – Deficiências

- Não poderá ser considerado para efeito de contagem: choros, apitos, trincados, chamadas, tinidos etc., ou seja, todos os sons que não fazem parte do canto da espécie.

2.43 – Defeitos:

- Não será considerado algum defeito nesta categoria.

2.44 – Fora de Prova

- Todo pássaro que se apresentar emitindo notas de outros pássaros será considerado Fora de Prova.
- Esta modalidade existe para a descoberta de Pássaros cantores, repetidores incentivando assim, os expositores a apresentá-los nos torneios.
- O pássaro na categoria Peito de Aço Livre não tem canto ou notas definidas, porém tem de cantar com notas dentro da sua própria espécie, ele não pode se apresentar emitindo notas de outros pássaros.
- A marcação será feita no cronômetro, por tempo, e a classificação obedecerá à ordem do maior cantor.
- Nessa modalidade não há punição para os defeitos, mas voltamos a insistir: o pássaro tem que emitir notas da sua própria espécie.
- Recomendamos a você criador, possuidor de um pássaro cantor, que não deixe de apresentá-lo aos demais criadores e a ostentá-lo nos torneios realizados em todo o Brasil.

 

3.1 - Requisitos Qualitativos:

- Além dos requisitos obrigatórios, deverão ser considerados para efeito de atribuição de notas, análise de coesão e harmonia, os seguintes requisitos para todas as categorias (Praia Grande Clássico, Praia Grande e Praia Grande Pardo):

3.1.1 - Voz de Praia;

3.1.2 - Andamento de Canto (nitidamente moderado);

3.1.3 - Melodia;

3.1.4 - Colocação de notas;

3.1.5 - Notas mais longas;

3.1.6 - Passagem de Canto com balanço;

3.1.7 - Arremate com no mínimo 2 (duas) notas de batida de praia com ou sem purrú;

3.1.8 - Apresentação (disposição e repetição);

3.2 - Defeitos ou Deficiências:

3.2.1 - Serão considerados defeitos ou deficiências de canto os seguintes itens, valendo para todas as categorias (Praia Grande Clássico, Praia Grande e Praia Grande Pardo), com observância do número de vezes, intensidade e a posição em que defeitos ou deficiências ocorrem:

a) Aberturas (que quél, tais-tais, quaiaquil e outras) na passagem de canto ou arremate;

b) Vícios, deficiências e notas estranhas;

c) Voz deficiente, muito fina ou muito grossa, musicada, rouca, metálica, com chiado ou com sotaque de outras categorias diferentes de Praia Grande;

d) Perdidas (destoação de canto);

e) Cortadas (interrupção de canto).

f)  Retorno de Canto.

 

4 - Contagem de Repetição:

4.1 - Canto Completo:

4.1.2 - Será considerado Canto Completo o curió que fechar o canto com no mínimo 02 (duas)* notas de batidas de Praia, ou ultrapassá-las cortando o canto posteriormente. * ver item acima 3.1.7

4.2 - Curió Repetidor:

4.2.1 - Será classificado como repetidor, o curió que durante sua apresentação na estaca der pelo menos 02 (duas) cantadas completas com repetição.

4.3 - Curió não Repetidor:

4.3.1 - Será classificado como não repetidor, o curió que durante a sua permanência na prova não der 02 (duas) cantadas completas com repetição. O curió que der uma única cantada igual ou superior a 18 (dezoito) Quim Quins, será julgado como não repetidor.

4.4 - Critérios para Contagem de Repetições:

a) A contagem de repetições não será interrompida quando o curió dividir o canto com purrú, rasgada (arrasto), descarga etc;

b) A somatória das repetições será composta apenas por parcelas iguais ou superiores a 9 (nove) Quim Quins, completando o canto com as notas de batida de praia;

c) As repetições devem ser contadas nas notas de Quim Quim {no mínimo 9 (nove)}; Após passar por repetidor (no mínimo duas cantadas de nove Quim Quins), não será necessário continuar contando as demais repetições. No entanto, todas as repetições serão consideradas para efeito de nota, no quesito apresentação;

d) Somente será considerado curió repetidor, aquele que der no mínimo 2 (duas) cantadas completas de 9 Quim Quins, fechando o canto com as notas de batidas de praia, ou ultrapassá-las, cortando-o posteriormente.

 

5 - Atribuição de Notas:

5.1 - Receberão notas todos os curiós de acordo com a sua categoria, ficando sempre 01 (um) curió pré-classificado, caso haja alguma desclassificação após o término do torneio;

5.2 - Dependendo de sua aprovação, o curió em julgamento receberá do Juiz uma nota variável de 0 (zero) a 10 (dez), considerando-se as frações, para cada um dos requisitos qualitativos (baseado no sistema de atribuição de notas, itens 6.1 e 6.2;

5.3 - A média final dos curiós repetidores será a nota atribuída pelo juiz, para cada um dos requisitos qualitativos, conforme item 5.2, e lançado no mapa na coluna dos repetidores;

5.4 - A média final dos curiós não repetidores será a nota atribuída pelo juiz e lançado no mapa na coluna dos não repetidores;

5.5 - Nas provas de Praia Grande Clássico, Praia Grande e Praia Grande Pardo, deverá ser descontado (da nota) 1 (um) ponto para cada abertura.

 

6 - SISTEMA DE ATRIBUIÇÕES DE NOTAS PARA JUÍZES:

6.1 - Requisitos Qualitativos:

1º - Colocação de Notas de 0 a 10

2º - Voz de Praia de 0 a 10

3º - Melodia de 0 a 10

4º - Andamento de 0 a 10

5º - Apresentação de 0 a 10

Obs.: as notas serão dadas por quesito, somadas e dividida por cinco.

6.2 - Deduções:

1º - Notas estranhas - 0,25 cada

2º - Abertura - 1,00 cada

3º - Passagem Lisa (quim quim tói) somente para Praia Grande Clássico - 1 cada
OBS. Se o curió der abertura ou passagem lisa (quim quim tói), não descontar na colocação de notas e sim da soma total.

 

INSTRUÇÕES AOS JUÍZES DE CANTO PRAIA GRANDE:

- O juiz pré-escalado que por algum motivo não for atuar, deverá comunicar ao Coordenador de Canto Praia, em no mínimo, 05 (cinco) dias antes do torneio.

- Para o bom andamento dos torneios, o Coordenador de Canto Praia Grande solicita aos juízes a leitura do Regulamento, que deverá ser seguido na íntegra e para que se tenha um julgamento justo e perfeito.

- Além do cumprimento do regulamento, os juizes devem observar os seguintes pontos:

a) Contagem de repetições: ausência de Samaritá, (quim quim tói), e aberturas: o juiz titular autorizará o juiz auxiliar na contagem dos itens acima, ou somente aqueles que acharem necessário;

b) Na categoria de Curiós Praia Grande Pardo: antes de dar início à contagem de tempo, verificar se o pássaro está dentro dos parâmetros, isto é, possuir obrigatoriamente mais de 50% de cor parda;

c) Aberturas: anotar com rigor as aberturas, porém analisar bem, a fim de não confundir com arrastos ou rasgadas, bem como pialadas ou notas estranhas;

d) Fora da Prova: quando o pássaro estiver fora da categoria na qual foi inscrito, anotar no mapa “Fora da Prova”. O participante somente tomará conhecimento quando for afixado o mapa. No entanto, o juiz deverá permanecer no local durante 15 minutos após o final da prova e deverá estar preparado para dar esclarecimentos, bem como instruir o participante se for procurado;

e) Nota de Canto: não diminuir a nota que deverá ser atribuída à categoria de curió em função de aberturas ou (quim quim tói), pois o mesmo já é penalizado pelo desconto de 01 (um) ponto para cada. Caso contrário será penalizado 02 (duas) vezes.

 

O regulamento completo poderá ser consultados no site da  Serca ( www.serca.com.br ).

 


< Voltar
  Home ....| ....Notícias .....| ..... Videos.....| .... Fotos ....| ..... Recados ....| ..... Torneios ....| ..... Atualidades.....| .... O Curió .....| .... Contato  

www.curiopraiaclassico.com.br - 2008/2012 - Desenvolvimento: