O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 
notícias
15/12/2009 - 10:50h
Comentário da 2ª Final - Torneio dos Campeões - SJRP

2ª ETAPA DO TORNEIO DE CAMPEÕES

13.12.2009 – SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP

 

 

 

A ORGANIZAÇÃO

 

 

Muito bem organizado pela direção da SOCIEDADE ORNITOLÓGICA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, aconteceu a final da temporada 2009 de Canto de Curiós, no hotel Ypê em São José do Rio Preto, com a realização da 2ª etapa do Torneio dos Campeões. Tivemos  estrutura muito boa de acomodação, alimentação e de julgamento, de forma que parabenizamos os organizadores, por terem propiciado um final de semana maravilhoso e inesquecível, aos amigos de Curiós.

 

O JULGAMENTO

 

A equipe de julgamento, como sempre faz, apurou os Campeões, de forma tranqüila,  sempre obedecendo e prevalecendo as determinações do Regulamento 2009 – Canto de Curiós, nesta abordagem, no que diz respeito ao Sistema de Atribuições de Notas.

 

É muito importante salientar, que a Classificação dos Torneios do Campeonato Brasileiro, bem como do Torneio dos Campeões, foram feitas com imparcialidade, lisura, ética e honestidade, embora feito por humanos e sujeito a erros.

 

Essa imparcialidade fica aparente ao verificarmos que o Campeão Brasileiro e do Torneio dos Campeões, modalidade Curió Clássico com repetição, tem o seu criador, e o proprietário residentes no Estado do Paraná. O criador e proprietário do Campeão do Torneio dos Campeões de Pardo com repetição é residente no Estado do Rio de Janeiro. O Campeão do Campeonato Brasileiro de Pardo, pertence ao jovem Lucio, de Vinhedo, que é iniciante em nosso meio.

 

SISTEMA DE ATRIBUIÇÃO DE NOTAS

 

Quero lembrá-los de que os cinco principais requisitos (item 6.1. do regulamento) são as Colocações de notas, Voz de praia, Melodia, Andamento e Apresentação. À cada um deles é atribuída a nota de 0 a 10, cujo somatório é dividido por 5. Matematicamente, pode-se atribuir de 0 a 2 para cada requisito e somá-los.

 

No item 3.1., é determinado que, devem ser considerados para efeito de atribuição de notas, análise de coesão e harmonia, além dos requisitos citados no item 6.1., os quesitos como notas mais longas, passagem de canto com balanço e arremates.

 

A repetição está inserida no requisito Apresentação, juntamente com a disposição, conforme se pode notar no item 3.1.8., e confirmado no item 4.4.d (clássico) e 4.5.d (pardo), “Após passar por repetidor, não será necessário continuar contando as demais repetições, no entanto, todas as repetições serão consideradas para efeito de nota, no quesito apresentação”. Portanto, a repetição pode compor em até 10% da nota final atribuída. Não se constitui por si só, fator determinante para a nota final.

 

Além disso, atentamos para o número de batidas de praia, cujas emissões com duas notas são obrigatórias, e são consideradas para efeito de colocação de notas, e as emissões com mais de duas notas são consideradas para efeito de apresentação.

 

Obviamente que o curió precisa se apresentar pelo menos na quantidade de cantada mínima prevista no Regulamento 2009, para que se possa analisar e atribuir notas dos 5 requisitos citados, bem como para classificação da modalidade (com ou sem repetição).

 

 

OS MELHORES

 

CLÁSSICO COM REPETIÇÃO

 

Média final de 8,43

 

PROFESSOR: O campeão do Campeonato Brasileiro se apresentou muito bem, e conquistou também o Torneio dos Campeões, com muito mérito. Em sua apresentação, demonstrou um grande equilíbrio dos 5 requisitos qualitativos, constituindo-se no melhor curió da temporada.

 

Média Final de 8,19

 

MARAJÁ SANTO ANDRÉ: Qualificou-se como repetidor, nas duas etapas do Torneio dos Campeões, e agrega em seu currículo, o Vice-Campeonato do Torneio dos Campeões de 2009. O seu canto caracteriza-se pela boa voz, notas alongadas e bem pronunciadas, melodioso, coloca bem as notas, faz passagens de até com 5 batidas de praia, com tonalidade muito boa se ouvir. É uma das melhores cantorias do momento.

 

Média Final de 8,18

 

RIO DO SUL: É também, sem dúvida,  uma das melhores cantorias da atualidade. Entrada de canto bem pronunciada, voz muito boa, melodioso, andamento muito bom, batidas gostosas de ouvir, coloca bem as notas. Ficou em terceiro lugar, literalmente pela diferença mínima, como poderia ter ficado em posições melhores.

  

Média Final de 8,10

 

MURALHA: Um deslize, mesmo que seja quase que insignificante, acaba interferindo na classificação final, nesse tão disputado Torneio. Fez boas apresentações, porém poderia ter ficado em posição melhor, devido ao seu potencial. Continua sendo um dos raros talentos que já se apresentou em Torneios.

 

Média Final de 7,95

 

GARANTIDO: Fez boas apresentações, caracterizados pela riqueza em batidas de praia. Obteve uma pequena melhora em sua média de notas na segunda etapa, e classificou-se em quinto, lugar de destaque, pois somente os melhores conseguem se situar nessa classificação, cuja média de notas se situa na faixa de cantos ótimos.

 

Como podem notar, são esses, os cinco melhores deste ano de 2009, cada qual com suas características marcantes.

 

 

CLÁSSICO SEM REPETIÇÃO

 

Média Final de 6,80

 

PLATINA: Além da boa voz, disposição nas apresentações, bom andamento, emitir notas alongadas, a sua regularidade de se apresentar sempre se classificando na modalidade sem repetição, levou o Platina a conquistar o Primeiro lugar, tanto do Campeonato Brasileiro, como do Torneio dos Campeões, nas temporadas de 2008 e 2009, tornando-se, portanto, o Bi-Campeão de tudo na modalidade.

 

Média Final de 5,97

 

JANGADEIRO: Na árdua disputa entre o Platina e o Lua de Mel, pelo título do Torneio dos Campeões da modalidade, surgiu o Jangadeiro, "correndo por fora", e abocanhou o segundo lugar no Torneio dos Campeões. Apresentou-se melhor na segunda etapa, melhorando a sua média, e ficou pronto para as oportunidades, o que aconteceu.

 

Média Final de 3,63

 

LUA DE MEL: Pena. Havia feito uma boa apresentação na primeira etapa em São Paulo, com a média 7,27, e liderava a competição. Já iniciou a primeira cantada com quatro cantos, e a segunda cantada emitiu com cinco cantos, prenunciando a mudança de modalidade, o que não tardou a acontecer. 

Assim, a média foi dividida por dois, e mesmo assim, se classificou em terceiro lugar.

 

Média Final de 2,80

 

APOLLO: Não se deu bem na primeira etapa do Torneio dos Campeões, em São Paulo, mas na segunda etapa apresentou-se bem. Embora tenha a sua nota de uma só etapa dividido por 2, obteve média para se classificar em quarto lugar. Ao proprietário, parabéns, pois, temos que competir mesmo. Pelo contrário, deixaria a posição de graça para o Fragata.

 

Média Final de 2,70  

 

FRAGATA: Não se apresentou bem em São Paulo, pelo potencial que possui. Também não se apresentou em Rio Preto. Todavia, conseguiu média para ficar em quinto lugar.

 

 

PARDO COM REPETIÇÃO

 

Média Final de 7,61

 

EMBAIXADOR: Criado e dirigido pelo Sr. Mauricio de Abreu, de Nilópolis – RJ, encantou os julgadores que não haviam atuados na Categoria Praia Grande Pardo, neste ano, notadamente na 1ª Etapa do Torneio dos Campeões em São Paulo (outros já conheciam). Em minha opinião, não chegou a repetir a atuação de São Paulo, mas fez o suficiente para se tornar o Campeão do Torneio dos Campeões na modalidade com repetição.

 

Média Final de 7,22

 

YANKEE: Iniciou sua apresentação emitindo cantadas com muita repetição (12), porém, foi diminuindo. Com muitas perspectivas para o próximo ano, ficou com o Vice Campeonato do Torneio dos Campeões, após ter conquistado o Campeonato Brasileiro da Categoria.

 

Média Final de 6,63

 

BARACK: Apresentou-se melhor na 2ª Etapa, melhorando a sua média. Não foi o suficiente para melhorar sua classificação, mas conquistou o honroso terceiro lugar, no Torneio dos Campeões, após ter conquistado o Vice Campeonato neste ano.

 

Média Final de 3,34

 

JAGUAR: Apresentou-se somente na 2ª Etapa. A sua cantoria foi classificada na faixa de um bom canto. Porém teve a sua nota dividida por dois e se classificou em quarto lugar no Torneio.

 

Média Final de 3,30

 

SUPIMPA: Apresentou-se bem na primeira etapa, em São Paulo, qualificando-se na modalidade. Não repetiu na segunda etapa, e teve a sua média da primeira etapa dividida por 2, o que lhe deu o quinto lugar. Bom canto.

 

 

PARDO SEM REPETIÇÃO

 

 

Média Final de 4,35

 

XODOZINHO: Apresentou-se melhor em São Paulo. Porém conseguiu uma média que lhe desse o primeiro lugar na modalidade.

 

Média Final de 4,28

 

JOHN LENNON II: Fez duas apresentações semelhantes, sempre caracterizando como sem repetição,  porém com várias cantadas de 3 cantos.

 

Média Final de 2,80

 

SÃO FRANCISCO: Qualificou-se como repetidor na 1ª Etapa, mas não confirmou essa condição na 2ª Etapa. Como foi melhor na 2ª Etapa, ficou com a qualificação de sem repetição.

 

ESPARTACUS: Esse curió de voz boa classificou-se muito bem na 1ª etapa em São Paulo. Porém na 2ª Etapa, não conseguiu qualificação para classificação. Pena. Ficou com a mesma média que São Francisco.

 

Média Final de 0,83

 

MONTE SIÃO: Não cantou em São Paulo. Qualificou-se para classificação na 2ª etapa em Rio Preto, o que lhe rendeu a 5ª posição da modalidade.    

 

 

A todos um grande abraço, Feliz Natal e um Ano Novo repleto de boas cantadas de Curiós.

 

 

Junichi Yonemura.


< Voltar
  Home ....| ....Notícias .....| ..... Videos.....| .... Fotos ....| ..... Recados ....| ..... Torneios ....| ..... Atualidades.....| .... O Curió .....| .... Contato  

www.curiopraiaclassico.com.br - 2008/2012 - Desenvolvimento: